quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Ciclo de vida e a qualidade das informações contábeis

Para quem me acompanha no facebook, isso já não é mais novidade, mas esse artigo (com resultados muito interessantes) foi apresentado pela colega Ailza no Enanpad de 2013 e, para a nossa alegria, foi premiado como melhor artigo da divisão de Contabilidade.

Aos interessados no tema, segue o resumo do artigo.



Ailza Silva de Lima

Evelyne Vilhete Antonio de Carvalho

Edilson Paulo

Luiz Felipe de Araújo Pontes Girão





ESTÁGIOS DO CICLO DE VIDA: UMA ANÁLISE SOBRE A QUALIDADE DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS DAS COMPANHIAS ABERTAS BRASILEIRAS




O objetivo desse estudo foi analisar o efeito dos estágios de ciclo de vida das empresas no que tange à qualidade das informações contábeis das companhias listadas na BM&FBovespa, durante o período de 1995 a 2011, com uma amostra de, em média, 170 empresas por ano, o que proporcionou na amostra completa (pooled) uma média de 2.904 observações por modelo analisado. Com base na metodologia utilizada em pesquisas realizadas por Anthony e Ramesh (1992) e Black (1998), realizou-se uma análise multivariada dos indicadores contábeis e não contábeis das empresas para classificação dos seus respectivos estágios do ciclo de vida: em crescimento, maturidade ou declínio. Após essa classificação, foi medida a qualidade da informação contábil por meio do conservadorismo, persistência e gerenciamento dos resultados. Para medição do conservadorismo do lucro líquido foi utilizado o modelo de Basu (1997) e para medir o conservadorismo dos ativos operacionais foi utilizado o modelo de Feltham e Ohlson (1995). Com o modelo proposto por Dechow e Schrand (2004), analisou-se a persistência dos lucros e dos fluxos de caixa, para posterior comparação entre essas medidas. A última medida de qualidade da informação contábil adotada foi o gerenciamento de resultados, por meio do modelo de Pae (2005), avaliando também as diferenças entre os accruals discricionários pelo teste de Kruskal-Wallis. De forma geral, os resultados apontam para a não rejeição da hipótese de que há diferenças significativas na qualidade das informações contábeis das companhias abertas brasileiras, exceto para o gerenciamento de resultados.

Palavras-chave: ciclo de vida; qualidade da informação contábil; Conservadorismo; Persistência dos lucros e dos fluxos de caixa; Gerenciamento de resultados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...