segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

O lado B do insider trading: relevância, tempestividade e a influência do cargo

Seguindo a linha do Professor José Elias Feres de Almeida (UFES), antes de falar sobre o artigo, alertando sobre o tempo que se leva para fazer pesquisa (no caso dele, foi citado pelo menos 2,5 anos), no caso desse nosso artigo foram, por baixo, 3 anos também. A ideia surgiu quando eu estava escrevendo minha dissertação do mestrado e conhecendo mais sobre a regulação do insider trading (legal) no Brasil (meados de 2012).

Agora vamos ao conteúdo da pesquisa. Esse foi o primeiro artigo sobre o tema da minha tese, escrito durante o primeiro ano do doutorado (2013) e apresentado no XIV Congresso USP (2014). O artigo pode ser acessado tanto em português quanto em inglês (Insider Trading B-side: relevance,timeliness and position influence). 

Resumindo de forma traduzida (para que pessoas de fora dessa área possam entender mais facilmente a ideia):

Esse artigo traz à tona o "lado B do insider trading", lado que é um pouco esquecido pelas pessoas e, me parece, principalmente pelo órgão regulador do nosso mercado de capitais (a CVM). Quero deixar claro que nós não estamos estimulando a utilização (ilegal) de informações privadas, todavia nós pressupomos que a negociação de ações por insiders (pessoas de dentro da empresa que podem ter acesso a informações privilegiadas) existem e podem ocorrer legalmente ou ilegalmente. 

O problema da negociação legal dos insiders é que nós, os outsiders (pessoas que estão fora da empresa, como investidores, credores etc), só sabemos dessas negociações com muitas semanas de atraso (podendo chegar a 40 dias, aqui no Brasil). Ou seja, o insider poderá gerenciar os prazos para divulgação de fatos relevantes para poder negociar com ações da empresa dentro do prazo legalmente estabelecido por regulamentação da CVM.

Sendo assim, esse artigo critica a regulamentação dada pela Instrução CVM 358 e mostra algumas evidências, através de um experimento, que isso realmente é um problema para o mercado de capitais, pois as negociações dos insiders parecem ser importantes para os investidores.

Críticas e sugestões ainda são bem vindas, mesmo que o artigo já esteja publicado, pois ainda estou trabalhando nesse tema na minha tese de doutorado e pretendo fazer outro experimento abordando outras coisas que não foram tratadas neste artigo.


Objetivo – Analisar o impacto das negociações dos insiders nas decisões dos investimentos em ações.

Método – Aplicaram-se questionários online, obtendo-se 271 respostas válidas. Nas análises foram utilizados alguns testes estatísticos paramétricos (t e F Anova) e não paramétricos (Mann-Whitney e Kruskal-Wallis). 

Fundamentação teórica – A pesquisa foi fundamentada na Teoria do “Equilíbrio do Desequilíbrio” de Grossman e Stiglitz (1980), sobre a impossibilidade de os preços nos mercados de capitais serem eficientes, contudo à medida em que os agentes informados negociam seus ativos munidos de informações privilegiadas, mais informativo se torna o sistema de preços, visto que mais informações serão divulgadas indiretamente por meio dos preços dos ativos. 

Resultados – Os resultados da pesquisa apontaram que as negociações dos insiders são relevantes para as decisões de investimentos dos demais investidores e, ainda, que a tempestividade dessas informações também exerce influência em tais decisões, sendo as negociações anormais aquelas que têm maior influência nas decisões de investimentos em ativos de risco pelos respondentes. Ratifica-se, então, a teoria de Grossman e Stiglitz (1980), pois os resultados sugerem que as negociações dos insiders adiciona informatividade ao sistema de preços das ações. 

Contribuições – As principais contribuições do estudo estão relacionadas com as evidências em favor do Paradoxo de Grossman e Stiglitz (1980), dando uma base crítica a tão defasada Instrução CVM 358/2002 que regula o insider trading no Brasil. Os resultados reforçam a importância da transparência das negociações dos insiders, para que os participantes do mercado possam fiscalizar e controlar melhor as suas operações, bem como utilizar alguma estratégia de investimento baseada nos sinais dos insiders. 

Palavras-chave – Mercado de capitais; Hipótese de mercados eficientes; Assimetria de informação.



Objective – Our main objective is to analyze the impacto f insider trading on stock investments’ decision. 

Design/methodology/approach – We used an online survey, obtaining 271 valid answers. To analyze our data, we used some parametric (t and F Anova), and non-parametric techniques (Mann-Whitney and Kruskal-Wallis). 

Findings – We find that insider tradings are relevant to investment decisions, and the timeliness also exert an influence to this kind of decision, especially abnormal trades. 

Practical implications – In practical terms, our results suggests that the Brazilian Securities and Exchange Commission (CVM) must update the Brazilian insider trading regulation to achieve the objective to protect investors. In the investors point of view, this possible update could improve investors’ ability to control insiders and follow his activities as well as to mimic his trades. 

Originality/value – The originality of our paper is an analysis of relevance, timeliness and influence of position in a firm as “determinants” of investment decisions. We use these three specific characteristics to criticize the Brazilian insider trading regulation. 

Keywords – Capital Markets; Efficient Market Hyphotesis; Information asymmetry.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...