terça-feira, 30 de junho de 2015

Uma breve revisão de uma revisão crítica sobre pesquisa empírica em contabilidade

Estive lendo agora o artigo  CALLEN, Jeffrey L. A selective critical review of financial accounting research. Critical Perspectives on Accounting, v.26, p.157-167, 2015. Esse trabalho me fez pensar em algumas coisas (a maioria delas eu não vou divulgar agora) e também achei legal compartilhar a referência com vocês, que são interessados nesse tipo de assunto.

De forma resumida, o trabalho aponta um monte de "falhas" das pesquisas empíricas em contabilidade financeira, começando falando dos modelos "Ohlsonianos" e a dificuldade de se refutar esses modelos (talvez pela grande "sacada" de Ohlson com as outras informações) - leia um pouco mais sobre Ohlson aqui. Ele aponta falhas, às vezes apresenta algumas soluções que não resolvem o problema por completo... mas nos permitem pensar em algumas coisas para melhorar nossos trabalhos.

Ele também faz muita propaganda de artigos seus e de seus orientados. De cara eu percebi um pouco de rancor. Aí quando você lê a seção 5 (Financial accounting methodology, journal referees and the editorial process), encontramos algumas evidências que não nos permitem rejeitar essa hipótese.

Porém algumas coisas fazem muito sentido, por exemplo, por que nós em contabilidade somos tão fixados nos modelos lineares? Veja neste link aqui uma saída, pelo menos ao modelo clássico de regressão linear, com a utilização da regressão quantílica

No final, o autor traz um ponto que talvez tenha sido o que eu tenha concordado muito. Os Professores que estão em programas de doutorado devem assegurar que seus orientandos (empíricos) não apenas leiam teoria, mas sejam aptos a produzir teoria, ou pelo menos garantir que eles entendam as implicações dos modelos e não apenas os seus pressupostos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...