sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Considerações finais: o que deve ter?

Começo a escrever esse post enfatizando que expresso aqui a minha opinião. Independente do que você for escrever, alguém criticará o seu trabalho (como eu sempre digo). Essa é uma das poucas verdades da nossa vida! E aproveito para indicar uma lista com diversas outras dicas sobre monografias e artigos: clique aqui para ter acesso.

Segundo, o que não deve ter nas considerações finais: um resumo da sua pesquisa. As considerações finais devem ser curtas e nunca devem se limitar a apresentar o objetivo da pesquisa e um resumo do que você já disse. Isso é papel para uma seção que nós costumamos chamar de resumo. Na minha opinião, devemos sim sintetizar tudo o que dissemos, porém de forma bem curta e em conjunto, para responder à questão do parágrafo abaixo. Essa ideia é bem exemplificada por Cochrane:

 Sério, as considerações finais não deveriam ser necessárias. Se vocês fez um bom trabalho explicando sua contribuição na introdução, explicando bem elas no corpo do artigo (...) dizer tudo aquilo de novo é sem sentido. Eu tentei omitir as considerações finais algumas vezes, mas isso foi radical demais para os editores e revisores (...).

Terceiro, nós devemos responder àquela pergunta que pode ser chata (dependendo da forma como o debatedor ou ouvinte da sua apresentação a elabore): e daí?! O que você quis dizer com todas essas páginas que foram escritas? Para onde isso nos levou? Quais são as implicações práticas dos seus achados? Qual é a sua contribuição à literatura atual? Isso é importante!

Quarto, é importante que você cite as limitações principais da sua pesquisa. Tenho visto as pessoas colocando como limitação o prazo para a entrega da monografia. Eu, de cara, já tiro um ponto da nota do indivíduo (brincadeira, não tiro... mas vou falar algo sobre isso na minha hora de falar!). 

Nas monografias de conclusão de curso, os alunos têm 4 anos para fazê-la (quando vocês entram na faculdade, já sabem que terão que apresentar o TCC). Então não me venham com essa desculpa. E isso também não é limitação da pesquisa. Isso é falta de planejamento!

Quem tiver mais alguma opinião sobre o que deve e o que não deve ter nas considerações finais, favor entrar em contato comigo. Terei o prazer de argumentar e, talvez, postar aqui no blog, para ajudar outras pessoas.


5 comentários:

  1. Creio que essas bancas das quais participou na UFPB foi o que o "inspirou" para este post.
    Bem colocada a sua opinião. Mas, como passei por isso recentemente defendo um pouco o lado dos alunos, pois assim que entram na Universidade sabem sim que tem que fazer uma monografia, mas não sabe O QUE é uma monografia e COMO PLANEJAR a mesma. Acredito eu que deve existir uma orientação que parta dos professores e demais colaboradoes para esses "novos alunos".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em parte, Inajá. Infelizmente, mesmo com os incentivos, alguns alunos não reagem.

      Eu estou agora sempre pedindo para lerem artigos e fazerem resumos desses artigos. Além disso, sempre digo que o aluno que escrever um artigo na disciplina será liberado da última prova. Até hoje não consegui fazer com que nenhum aluno escrevesse! kkkk

      Excluir
  2. Estou nesta fase final e estou com um pouco de medo para apresentá-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa sorte, Jaquiel. Se você se dedicou ao trabalho, não há o que temer.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...